Tudo que você precisa para escolher os tipos de escola na Espanha. 

 

Hoje venho deixar estas dicas sobre as escolas da Espanha, também é importante lembrar que o colégio começa em setembro e termina em junho, antes do verão caloroso começar.

Na Espanha o currículo, as condições materiais, de trabalho, e o horário de todas as escolas são regidos pelo Governo da Espanha. Algumas Comunidades Autônomas dentro do Estado espanhol têm competências próprias para personalizar o currículo de acordo com as características, sempre cumprindo a lei geral.

Também é importante ressaltar o equivalente para cada etapa do estudo do Brasil aqui na Espanha.

1- Educação infantil: de três à seis anos seria nossa pré-escola,

2- Primaria: são o equivalente ao ensino fundamental,

3- Secundaria e bachillerato: equivalem ao ensino médio, embora alguns centros deleguem os ciclos superiores aos institutos públicos.

Na Espanha existem três tipos de escolas:

Escolas públicas:

São centros financiados e gestados pelo Governo com as ajuda das administrações locais de cada região. A maioria destes centros dão aulas para todos os níveis de ensino básico e obrigatório. Estes centros possuem vagas limitadas e para ter acesso é preciso cumprir uma série de requisitos estabelecidos pela Administração Central, como por exemplo, a proximidade da moradia ou trabalho. Portanto, os pais poderão apresentar a solicitação, mas dependem de se as circunstâncias reais se encaixam com os critérios estabelecidos para conseguir uma vaga.

O número de alunos por sala de aula nas escolas públicas é inferior ao mesmo número nas escolas concertadas e privadas, já que devem seguir estritamente o que estabelece a LOGSE (Lei Orgânica Geral do Sistema Educativo), ou seja, 20 alunos por sala de aula até os três anos, 25 alunos de três a seis anos e no ensino primário (de 6 a 12 anos, o equivalente ao ensino fundamental), e 30 alunos nas salas de aula da ESO (Enseñanza Secundaria Obrigatória, o equivalente ao ensino médio).

Para pedir uma vaga em um destes centros de ensino público é preciso cumprir alguns destes critérios:

  1. Ter proximidade à moradia ou ao local de trabalho dos pais
  2. Nível de renda
  3. Outros irmãos matriculados na escola
  4. Situação de família numerosa ou incapacidade de pais ou irmãos.

Estes critérios somam pontos e o maior número de ponto prioriza o ingresso do aluno na Instituição.

A escola pública é laica, por isso são os pais que decidem se querem que seus filhos tenham a matéria de religião católica ou alguma outra aula.

Colégios Concertados:

Estas escolas são particulares, ou seja, não são criadas pela Administração, mas são subsidiadas principalmente pela Administração Central. Elas têm liberdade de gestão, mas com uma adaptação a certas condições estabelecidas pelo Governo, como por exemplo, um número limitado de alunos por classe, datas, admissões etc. estas escolas financiam parte da sua oferta com subsídios e outra com pagamentos efetuados pelos pais.

Embora sejam particulares, as os colégios concertados têm uma série de acordos com a Administração Pública. Normalmente o acordo afeta a maioria das aulas do centro de ensino, e devem respeitar certas normas estabelecidas pelo Ministério de Educação e Cultura.

Colégios Particulares:

Os colégios particulares são uma empresa privada de educação financiada pelos pais de alunos. Embora devam seguir as pautas da LOGSE, eles têm toda a liberdade de gestão e certa de liberdade de currículo, dentro dos limites estabelecidos pelo Governo.

Estes centros educativos também dispõem de liberdade na hora de estabelecer as matérias optativas, atividades extraescolares, normas de funcionamento, projeto educativo e seu próprio ideário, desde que respeitem a Constituição e os direitos dos alunos, professores e pais.

Os colégios particulares costumam dar aulas em todos os níveis educativos, embora tenham liberdade para limitá-lo. O limite de vagas e o acesso às mesmas dependem do critério que o próprio colégio estabelece.

Os gastos estão totalmente financiados pelos pais de alunos e têm tarifas variadas, tanto para a matrícula e as cotas mensais, como para o refeitório e as diferentes atividades optativas, mas o seu preço pode multiplicar por 10 sobre um centro concertado e por 25 sobre um centro público.

Horário:

O horário das escolas concertadas e particulares no ensino fundamental pode ser cinco ou seis horas diárias de segunda a sexta. A maioria das escolas concertadas oferece mais de cinco horas por dia de estância aos alunos da educação primária. Em casos específicos, alguma escola privada pode aumentar o seu horário com o consentimento das autoridades. A grande maioria das escolas o horário das escolas é de 9h até às 16h ou 17h, este horário pode ser  ampliado ou reduzido dependendo do colégio.

Uma criança do Brasil que vier estudar na Espanha é necessário apresentar alguns documentos no dia da matrícula:

  1. Certidão de nascimento.
  2. Passaporte em vigor (da criança e dos pais).
  3. Certificaçao médica o “tarjeta sanitária”(realizado no Centro de Saúde da sua localidade na Espanha).
  4. Empadronamiento.
  5. Histórico escolar apostilado ( caso á tenha começado a estudar no Brasil e siga o curso por aqui, seja no meio do ano ou iniciando uma nova série).

Período de Inscrições:

O prazo pode variar conforme a Comunidade Autônoma, geralmente costuma se estabelecer os meses de abril, maio e junho. Se você chegar na Espanha com crianças e adolescentes em idade escolar, fora ou dentro do período de matriculação, você deve ir à Consejería de Educación, Juventud y Deporte do município onde você vai morar e esta instituição vai indicar quais são as escolas com vagas disponíveis, no caso das escolas públicas e concertadas.

 

Outras informações importantes

Como os colégios aqui são de turno integral, o refeitório, aqui chamada “comedor” deve ser pago a parte, em torno de 90 € até 150 €, varia de colégio, estamos falando de colégios públicos e concertados, os particulares são mais caros.

Você pode optar em buscar teu filho no colégio para comer em casa e logo entregar-lo novamente.

Os livros também são comprados pelos pais, se podem comprar usados e faz pouco tempo que se implantou um sistema de empréstimos, este tema é tratado diretamente na escola. Também se pode pedir

O uniforme, muitos colégios são adeptos ao uso de uniformes, normalmente são caros, mas no meu ponto de vista, é um investimento que vale a pena e ajuda muito no funcionamento do dia-a-dia.

Tanto livros como refeitório você pode solicitar ajuda de custo para o governo, desde que esteja legalmente na Espanha e provar que não tenha condições financeiras.

Independente da data de matrícula, assim como falta de vagas nas escolas mais próximas a tua residência, nenhuma criança fica sem escola aqui na Espanha.