Solidão…

Um sentimento que aparece em momentos de mudança, de transformação, sejam eles internos ou externos, como em uma mudança de pais, um casamento, uma formação profissional etc.

É interessante ver como nossa cultura prioriza as companhias, as amizades e as festas, ao ponto que muitas vezes esquece de ensinar a auto convivência, a auto amizade, e a automotivação. E quando mudamos de pais, mudam muitas coisas, e acabamos conhecendo a solidão.

Aproveito para ressaltar o aprendizado que podemos ter quando começamos a fazer-nos companhia, quando começamos a conhecer o que queremos e gostamos, conhecendo a autodependência.

O que acontece é que aprendemos a ter medo deste sentimento, aprendemos que a solidão é algo que nos pode prejudicar, levando ao extremo surge a necessidade de outra pessoa. Esse processo pode levar a dependências emocionais e/ou financeiras de pessoas toxicas.

Por isso é importante ter cuidado e conhecer teus limites de autoconhecimento e de dependência.

Vamos por partes:

Estar só muitas vezes é estar acompanhado de si, bastante diferente de estar isolado.

Isolamento muitas vezes é uma opção e solidão é um sentimento.

“Antes só do que mal acompanhado” Esquecemos deste velho ditado…

Assim este sentimento em um lugar muito diferente do que o habitualmente conhecido pode levar a medos e até a ansiedades. Pois com poucas referencias, esquecemos de olhar para dentro e utilizar nossas habilidades.

Fazendo diferente podemos ter resultados diferentes e consequentemente conhecer situações e coisas diferentes.

Fazendo o mesmo teremos os mesmos resultados.

E estar sozinha é uma grande oportunidade para aprender a fazer e pensar diferente, mesmo porque temos a oportunidade de ver e de avaliar como fazemos e como pensamos. Quando estamos preparadas e treinadas para ver.

A solidão as vezes vem acompanhada de tristeza, de saudades…

  • Neste momento é bom entender qual sentimento veio primeiro e o que podemos fazer com eles.
  • Como estou sozinha, triste e sinto saudades do passado…
  • Estou triste, sozinha e vem a saudades…
  • Sinto saudades, me entristeço e fico sozinha…
  • Uh!! É muito diferente ver a ordem destes sentimentos, pois alguns levam para o passado, e podem levar a uma depressão.
  • Outros levam para o futuro e podem levar a uma ansiedade.
  • Outros causam medo e podem levar ao pânico.

Por isso a importância de conhecer o que estamos sentindo no momento que estamos sentindo, pois muitas vezes sentir cada emoção e cada sentimento em seus momentos é saudável e normal.

Somo seres humanos e temos uma história cheia de vivencias e experiencias, e normalmente sentimos, pensamos e vivemos cada estado emocional e sentimental que existe. O saudável é quando vivemos, voltamos e entendemos o que está passando, ou já passou.

Assim a solidão é um sentimento de introspecção, como quando fazemos algum retiro, decidimos refletir e estar conosco. 

E conhecendo cada um destes passos somos capazes de sentir, chorar e rir em cada momento.

Sentir-se só acontece muitas vezes quando estamos acompanhadas, muitas vezes quando estamos em plena festa, a diferença é que estamos em território conhecido e este suporte nos ajuda a viver estes momentos.

Quando esta solidão aparece em território novo, desconhecido e principalmente diferente, somos nossa melhor referência, nosso melhor suporte e essa fortaleza nos direciona dia a dia para encontrar e conhecer pessoas mais parecidas conosco.

É a possibilidade de contar nossos iguais, más sabendo que a solidão voltará e será passageira. Nós somos os condutores de nossos sentimentos.

Nós somos os instrutores de nossa rotina.

Nós somos os guias de nosso desenvolvimento.

Carmen Pereira Mañez

Psicóloga Experta en Coaching® – PsEC-065 , Colegiada en Madrid – M-32111 y titulada por la Universidad Cardenal Cisneros, Universidad Camilo Castelo Branco, Instituto de Psicología Junguiana y Sociedad Brasileira de Programación Neurolingüística.

https://www.carmenpsicologa.es/

📞 684 29 60 54

Por favor faça comentários

0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *